Gestões Inspiradoras da Bahia
Ramiro Campelo de Queiroz

Ramiro Campelo de Queiroz

19.10. 1943

(Valença, Bahia)

“Os homens mais importantes
do mundo na humanidade
foram simples e humildes”

Figura 1. VALENÇA-BA.

Ramiro Campelo de Queiroz é um empresário e político do município de Valença, litoral do estado da Bahia, que se destacou, dentre tantos feitos na área comercial, pela fundação da maior rede de móveis, eletrodomésticos da Bahia – Lojas Guaibim.

ORIGEM NA CIDADE DO RIO UNA . Filho do fiscal de renda Sr. Felipe José Galvão de Queiroz e da dona de casa Srª. Helena Campelo de Queiroz, Ramiro Campelo de Queiroz nasceu em 19 de outubro de 1943 no município de Valença no litoral do estado da Bahia, considerado a capital do Baixo Sul. Valença registra marcos importantes para a história não somente do estado, mas do país, a exemplo da fundação da primeira fábrica de tecidos do país, a famosa CVI. Economicamente, a cidade é reconhecida pela produção de camarão em cativeiro, pela cultura e beneficiamento de cravo da Índia, pimenta do reino e de azeite de dendê. Atualmente, o município destaca-se especialmente por fornecer, a partir do Rio Una, o principal acesso e abastecer comercialmente a Ilha de Tinharé, turisticamente famosa pelo povoado de Morro de São Paulo.

A família de Ramiro vem de uma quarta geração de portugueses que se estabeleceram desde a chegada ao país no município do Baixo Sul e tem laços consanguíneos com as linhagens Lacerda e Queiroz Galvão. Na sua primeira infância, devido à saúde debilitada, fez apenas o ensino primário.  Todavia, dedicou-se em casa a realizar leituras por influência de sua avó paterna, a Srª. Ana Galvão de Queiroz.

Na adolescência, ainda aos 14 anos de idade, Ramiro tornou-se, por autoridade de seu pai, sócio de um açougue no qual teve seu primeiro contato com as atividades comerciais, valendo-se, no exercício da atividade, da precisão nos cálculos matemáticos que fazia com prontidão e precisão, sempre que necessários. Os proventos gerados pela atividade deveriam ser suficientes para arcar com os custos para manutenção do seu irmão caçula (mais novo) que se encontrava estudando na capital baiana, no Colégio Central em Salvador (BA).

LAÇOS ENTRE A TRAJETÓRIA POLÍTICA E COMERCIAL. Descobrindo sua vocação política muito cedo e dotado de um autodidatismo, Ramiro ingressou na carreira política em 1961 com apenas 18 anos, sendo eleito vereador de Valença em 1962. Quatro anos após o sucesso de seu primeiro mandato e em função da sua boa relação e comunicação com a população valenciana, em 1966, ele atingiu o feito se ser reeleito com o maior número de votos do município.

Ainda muito jovem, buscou conciliar sua vida política com sua vida empresarial, atribuindo seu tino comercial a esse contato precoce com a atmosfera política da Bahia. Por outro lado, o acesso à política e sua popularidade vieram das suas habilidades comerciais. A vida de Ramiro seria sempre marcada pela relação simbiótica e virtuosa que estabelecia entre as atividades políticas e comerciais.

No final do seu primeiro mandato como vereador, com apenas 22 anos de idade, em meados de 1965, Ramiro decidiu empreender na área de autopeças, abrindo a loja Ramiro Autopeças, posteriormente renomeada para Gonpel Autopeças. A loja, hoje no seu 57º ano de funcionamento, é gerida pelo seu irmão Gonçalo Campelo de Queiroz.

Figura 2. loja casa fácil.

Três anos depois, em 17 de fevereiro de 1968, casou-se com Solange Queiroz. Fruto dessa união, o casal teve seus dois filhos, Ramiro José Campelo de Queiroz Júnior (05 de junho de 1969) e Márcio Lacerda Campelo de Queiroz (25 de outubro de 1974).

Em 1970, diante do bom desempenho para vereança obtido na eleição anterior, apresentou pela primeira vez sua candidatura a prefeito da sua cidade natal. No meio da campanha, percebeu algumas dificuldades na eleição. Desistiu da concorrência ao cargo majoritário, candidatando-se, mais uma vez, a vereador pelo Partido Democrático Social (PDS) e sendo eleito pela terceira vez consecutiva.

Com uma liderança presente, carismática e popular, sempre buscou diversificar os investimentos de acordo com as oportunidades que sua região lhe oferecia.

Em 1971, ainda com 28 anos, abriu a Casa do Fazendeiro, estabelecimento que ofertava para a região produtos para agricultura e pecuária, comércio este que mais tarde, em 2005, evoluiu para Casa Mais Fácil, direcionando o foco para materiais de construção.

Entre 1971 e 1973, Ramiro Queiroz investiu na área agrícola, especificamente no cultivo da seringueira. Nesse período, obteve sua primeira carteira de crédito agrícola pelo Banco do Brasil, no valor de 1 milhão.

Ramiro reputou esse momento como um divisor de águas em sua vida.Foi quando percebeu que conhecer e utilizar as facilidades associadas à oferta de créditos poderia levá-lo a outro patamar como empreendedor. Compreendeu que o acesso a tamanho investimento por parte de uma agência de crédito era um reconhecimento ao seu potencial na área agrícola e como gestor – “Realizei uma festa para comemorar meu primeiro crédito de 1 milhão”.

Entre 1976 e 1981 (seis anos), Ramiro partilhou a gestão do município de Valença pela Aliança Renovadora Nacional (Arena) na condição de vice-prefeito, junto ao prefeito João Leonardo da Silva. Nesse período, a gestão notabilizou-se por feitos de grande relevância por atrair e inaugurar em Valença algumas iniciativas como: Parque Esportivo do Serviço Social da Indústria (SESI), do Centro de Cultura, do Polo Naval, da Escola Média de Agricultura (Emarc), do Centro Social Urbano, do Conjunto Residencial da Habitação e Urbanização da Bahia (URBIS) com 400 unidades, do Polo da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) de Pedagogia.

Figura 3. Hotel Portal Rio Uma.

Em 1978, percebendo que com o crescimento da região já se verificava um déficit hoteleiro de alto padrão, Ramiro diversificou seus negócios para a área de turismo, investindo junto a outros empresários da região na empresa de hotelaria Guaibim Turismo. Fruto desse investimento, em 10 de novembro de 1980, inaugurou o Hotel Portal Rio Una, com uma estrutura de 36 suítes, restaurante, academia, sauna, piscina e quadra de tênis, nessa época, categorizado como estabelecimento 4 estrelas. Nos anos seguintes, o hotel viria a hospedar figuras como os ex-governadores Antônio Carlos Magalhães e Roberto Santos e a apresentadora Xuxa Meneguel, elevando o padrão hoteleiro da cidade e atraindo outros investimentos turísticos para a região.

Ainda em 1978, Ramiro empreendeu ações na área de construção naval, criando um estaleiro de escunas que seriam enviadas para Angra dos Reis.

Em 1982, Ramiro concorreu à prefeitura de Valença pela Aliança Renovadora Nacional, recebendo 3.870 votos, sendo derrotado por João Cardoso que contou com 5.080 votos.

SURGE A MAIOR REDE DE MÓVEIS, ELETRODOMÉSTICOS E TELEFONIA DA BAHIA. Um ano após a sua derrota nas eleições para prefeito, em 1983, traduzindo a sua crença no potencial comercial da região em investimento, Ramiro diversificou mais uma vez  mais seus empreendimentos, apostando na área de móveis e eletrodomésticos.

Fundada há 38 anos, a Loja Guaibim surgiu como uma empresa do Baixo Sul da Bahia, que demandava dos gestores saber lidar com as demandas das classes C e D, muito representativas do interior do estado, de modo geral. A loja, situada no centro de Valença,  contava inicialmente com apenas quatro funcionários.

Figura 4. Loja Guaibim Matriz – Valença (BA).

Figura 5. Filhos de Ramiro, Sr. Ramiro Júnior e Sr. Márcio Campelo

Entre 1983 e 1991, Ramiro, além de focar na gestão da Loja Guaibim, continuava investindo tempo e recursos na empresa hoteleira Guaibim Turismo. Nesse período, inaugurou na região o Tuist Hotel e o Hotel Royal que ofertavam uma estrutura de clube – algo  inovador para a região na época – na praia do Guaibim, distrito que fica a aproximadamente 20 Km de Valença (BA). Nesse mesmo recorte temporal, ele investiu no ramo de construção em Valença (BA) a partir da RC Construtora, com a criação do loteamento Jardim Grimaldi, dividido em 574 lotes.

Doze anos após da abertura da primeira loja Guaibim, Ramiro, atento às possibilidades e as demandas do mercado do Baixo Sul da Bahia, iniciou a expansão em 1995, inaugurando sua segunda loja, agora em Ituberá (BA), município cuja economia àquela época girava predominantemente em torno da produção de borracha natural pelo cultivo de seringueiras e da agricultura.

Após a inauguração da segunda loja, a parte comercial das Lojas Guaibim cresceu sobretudo com um hiato deixado por algumas grandes empresas baianas que desapareceram no setor de móveis e eletrodomésticos, a exemplo da Ypé e das lojas Insinuante, essa última quando houve a  associação com o grupo da Ricardo Eletro.

Durante o período de expansão, os filhos de Ramiro Queiros, Ramiro Júnior e Márcio Campelo passaram a assumir responsabilidades e ocupar lugar de destaque. O primeiro assume a função de gestão e planejamento, enquanto o caçula tornou-se responsável pela área comercial.

A inserção dos filhos em posições-chave para a expansão dos seus negócios, é representativa da estratégia empreendedora de Ramiro, baseada na capacidade de saber delegar e, como gosta de dizer, de saber recuar quando necessário, não insistindo em negócios que não lhe trazem retorno. Também assumiu que ao longo da sua trajetória sofreu influência de algumas figuras como Norberto Odebrecht e que tem o economista, professor universitário e político brasileiro filiado ao Progressistas, Antônio Delfim Netto, como inspiração e ídolo.

Fotos

Videos

Poadcast

Em construção.

Quiz

Em construção.

Videoaulas

Em construção.

Casos de ensino

Em construção.

Livro Digital